Agronegócio sustentável e relações internacionais

O Instituto San Tiago Dantas de Direito e Economia, por meio de seu núcleo temático Agronegócio e Sustentabilidade, e também de seu núcleo Integração Internacional, acompanhou os debates realizados no âmbito da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal sobre “Agronegócio sustentável: a imagem real do Brasil”.

Os vídeos acima reproduzidos contém a íntegra das palestras (1ª parte, 2ª parte e 3ª parte) proferidas no âmbito da Comissão de Relações Exteriores do Senado.

O evento, realizado nos dias 23 e 24 de agosto, teve como foco a inserção e os desafios do agronegócio brasileiro no cenário internacional.

Sob a presidência da senadora Kátia Abreu, a Comissão de Relações Exteriores do Senado promoveu um fórum de debates de alto nível com autoridades governamentais, lideranças empresariais e especialistas no tema do agronegócio, do meio ambiente e das relações internacionais, dentre eles:

  • Kátia Abreu, senadora, ex-Ministra da Agricultura e ex-presidente da Confederação Nacional da Agricultura
  • Carlos França, Ministro das Relações Exteriores
  • Izabella Teixeira, ex-Ministra do Meio Ambiente
  • André Nassar, ex-Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura
  • Sandra Rios, diretora do Centro de Estudos de Integração e Desenvolvimento (Cindes)
  • Hussein Kalout, pesquisador de Harvard e senior fellow do Cebri
  • Marcos Jank, professor de Agronegócio Global do INSPER
  • Roberto Rodrigues, ex-Ministro da Agricultura
  • Celso Moretti, Presidente da Embrapa
  • Thiago Barral, presidente da Empresa de Pesquisa Energética
  • Evaristo de Miranda, coordenador da Embrapa Núcleo Territorial
  • Luiz Antônio Fayet, consultor para Logística e Infraestrutura da CNA

Temas como produtividade no campo, desmatamento, crise hídrica, economia de baixo carbono, infraestrutura, Amazônia, geopolítica, mercado global e exportações foram tratados por diversos ângulos ao longo das palestras.

Como lembrou a Senadora Kátia Abreu, a aprovação do Código Florestal foi, no campo regulatório, uma conquista da sociedade brasileira, mas hoje há desafios pendentes quanto à sua efetiva implementação.

A agenda em torno dos temas ambientais, sociais e de governança (ESG) tem demonstrado que conceitualmente não há, ou não deveria haver, conflito entre economia e sustentabilidade ambiental.

Como destacado nesse seminário da Comissão de Relações Exteriores do Senado, 45% das exportações brasileiras no último ano decorreram do agronegócio. Ao mesmo tempo, cabe advertir que esse volume de exportação está concentrado em poucos produtos (grãos e proteína animal) e dirigido para poucos países.

Questões geopolíticas relativas ao que está acontecendo entre Estados Unidos e China, bem como seus reflexos para a Ásia e para o Brasil, foram objeto de abordagem e reclamam especial aprofundamento.

Portanto, cabe uma discussão estratégica entre a política externa e a política econômica brasileiras, com foco no meio ambiente, no atual perfil de exportações e todos os possíveis impactos para o desenvolvimento sustentável do Brasil.