Fotobiografia

Nascimento

nasimento-01

Francisco Clementino de San Tiago Dantas nasce no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em 30 de outubro de 1911, filho do Almirante Raul de San Tiago Dantas e da Sra. Violeta de Melo de San Tiago Dantas.

Nascimento

Faculdade de Direito

Em 1928, com 17 anos, San Tiago Dantas ingressa na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro (futura Faculdade Nacional da Universidade do Brasil e hoje Faculdade de Direito da UFRJ). Funda o CAJU – Centro de Estudos Jurídicos -juntamente com Vinícius de Moraes, Otávio de Faria, Thiers Martins Moreira, Antonio Gallotti, Gilson Amado, Hélio Viana, Américo Jacobina Lacombe, Chermont de Miranda, Almir de Andrade e Plínio Doyle, entre outros.

Faculdade de Direito

Integralismo

Em 1931, San Tiago Dantas conhece Plínio Salgado e adere ao Integralismo. Passa então a escrever em diversas revistas e jornais desse movimento político, como em “A Razão”, “Hierarchia” e “A Ofensiva”. Em face da postura cada dia mais radical da Ação Integralista Brasileira, em 1937 San Tiago rompe publicamente com o movimento e passa a se dedicar exclusivamente à vida acadêmica e à advocacia.

Integralismo

O professor de Economia Política e Legislação

Após a conclusão do curso de direito em fins de 1932, apesar da pouca idade, San Tiago Dantas torna-se professor catedrático interino de Legislação e de Economia Política no Curso de Arquitetura da Escola Nacional de Belas Artes. Em 1937, por concurso, efetiva-se na já então Faculdade de Arquitetura da Universidade do Brasil.

O professor de Economia Política e Legislação

Casamento

Em 1934, San Tiago Dantas casa-se com Edméa de Carvalho Brandão.

Em 1934, San Tiago Dantas casa-se com Edméa de Carvalho Brandão.

Casamento

Universidade de Montevidéu

Em 1938, San Tiago Dantas torna-se professor visitan­te da Universidade de Montevidéu. No curso de “História Política do Brasil”, sumariou o desenvolvimento brasileiro abordando temas ainda pouco comentados ou estudados naquela época, tais como,  “A dispersão geográfica da Colônia e as dificuldades da circulação política” e “O homem político do Império e sua psicologia”. Volta a ocupar o cargo, na mesma Universidade, dez anos depois, em 1948.

Universidade de Montevidéu

Faculdade de Economia

Em 1939, na cerimônia de inauguração do Curso de Ciências Econômicas e Administrativas, San Tiago Dantas proferiu a palestra “A missão do Ensino Econômico e Administrativo na Reconstrução Brasileira”

Faculdade de Economia

Professor de Direito Civil

Em 1939, San Tiago Dantas torna-se doutor em Direito Civil com a tese “Conflito de vizinhança e Sua Composição”, que retrata pioneiramente a emergência de conflitos em razão do processo de urbanização do Brasil. Ainda em 1939 torna-se, por concurso, aos 29 anos de idade, Catedrático de Direito Civil da Faculdade Nacional de Direito, hoje UFRJ. Pela pouca idade, sua nomeação gera protesto de alguns membros da Congregação, mas San Tiago logo ganha o reconhecimento de seus alunos. Suas aulas ficaram famosas e marcaram uma geração de juristas. Após taquigrafadas, tais aulas foram reunidas no livro Programa de Direito Civil, até hoje um clássico entre os estudiosos do Direito Privado.

Professor de Direito Civil

Diretor da Faculdade de Filosofia

San Tiago Dantas, um dos fundadores da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil e seu primeiro diretor (1941 a 1945), recebe a visita do Presidente Getúlio Vargas e do Ministro da Educação, Gustavo Capanema. Para San Tiago Dantas, o Brasil só se desenvolveria econômica e socialmente com uma sólida capacitação de sua juventude em ciências humanas e em ciências exatas.

Diretor da Faculdade de Filosofia

Professor visitante na Sorbonne

San Tiago Dantas, em 1946, passa a lecionar na Faculdade de Direito de Paris, na condição de professor conferencista.

 

Professor visitante na Sorbonne

O Escritor

Em 1947, San Tiago publica a obra “Dom Quixote – um apólogo da Alma Ocidental”, dedicada ao poeta Augusto Frederico Shimidt. 

O Escritor

Legião de Honra da França

Na embaixada francesa, no dia 14 de julho de 1950, San Tiago Dantas é condecorado com a Ordem Nacional da Legião de Honra da França.

Legião de Honra da França

Voando alto

Em 1950, na Inglaterra, San Tiago Dantas participa com Assis Chateaubriand (Diários Associados) e Paulo Sampaio (presidente da Panair do Brasil) de um vôo experimental com o primeiro avião a jato fabricado para uso comercial.

Voando alto

Museu de Arte Moderna

Incentivador das artes, San Tiago Dantas entre 1951 e 1956 ocupa a Direção do Museu de Arte Moderna – Mam Rio, ora como vice-presidente ou presidente da instituição.

Museu de Arte Moderna

Jurista em Foruns Internacionais

Em 1952, San Tiago Dantas torna-se membro da Corte Internacional de Arbitragem em Haia; em 1953, delegado do Brasil na II Reunião do Conselho Interamericano de Jurisconsultos, em Buenos Aires; no período de 1955 a 1958, preside a Comissão Interamericana de Jurisconsultos.

Jurista em Foruns Internacionais

O diretor de banco

Entre os anos de 1952 e 1957, San Tiago Dantas foi diretor do Banco Moreira Salles, futuro Unibanco e depois Itaú-Unibanco. Na época, foi um dos principais conselheiros de Walther Moreira Salles, que se tornaria embaixador do Brasil em Washington e Ministro da Fazenda. A figura societária das holdings recebeu pelo mercado financeiro o apelido de “clementinas”, em alusão ao prenome de San Tiago, um dos artífices do então incipiente mercado de capitais no Brasil.

O diretor de banco

Dirigente de entidade da indústria

San Tiago Dantas, como pioneiro do Direito Empresarial no Brasil, foi advogado e membro da direção de importantes entidades de representação empresarial, dentre elas o Sindicato Nacional das Indústrias de Cimento (1953).

Dirigente de entidade da indústria

Bodas de Caná, de Portinari

San Tiago Dantas encomenda a seu amigo Candido Portinari a pintura “Bodas de Caná” (1956-57) para a sala de jantar de sua residência. A obra é um legado da família de San Tiago Dantas para o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Bodas de Caná, de Portinari

O Jornalista

Em 1957, San Tiago Dantas torna-se proprietário e diretor do Jornal do Comércio, então o mais importante jornal econômico do país. Contrata jovens jornalistas como Carlos Castelo Branco, Sérgio Porto e Lúcio Rangel. Em sua coluna “Várias”, San Tiago passa a formular uma agenda de desenvolvimento para o Brasil. Um incêndio, em 1958, danifica as instalações e destrói parte do edifício-sede. O vultoso prejuízo leva San Tiago a vender o jornal a Assis Chateaubriand em 1959.

O Jornalista

Político e Deputado

Em 1958, San Tiago Dantas é eleito deputado federal pelo Partido Trabalhista Brasileiro de Minas Gerais. Sua campanha foi feita com a ajuda de um avião que às vezes ele mesmo pilotava. Na Câmara dos Deputados, San Tiago ganha destaque como articulador de bastidores e principal formulador da “esquerda positiva”, que pretendia unir o trabalhismo a um capitalismo empreendedor, tendo como metas prioritárias a redução da desigualdade social e o crescimento econômico.

Político e Deputado

Conferências na Escola Superior de Guerra

San Tiago Dantas, de 1951 a 1962, realiza conferências na Escola Superior de Guerra (ESG),  levando para o meio militar suas convicções democráticas e sua defesa em favor das reformas sociais e econômicas. Em 2014, nove dessas conferências foram reunidas no livro “Poder nacional, cultura política e paz mundial – conferências de San Tiago Dantas na  Escola  Superior  de  Guerra  (1951-1962)”,  publicado  pela  Editora  da  Escola Superior  de  Guerra.

Conferências na Escola Superior de Guerra

Ministro das Relações Exteriores

Em setembro de 1961, San Tiago Dantas assume o cargo de Ministro das Relações Exteriores, onde dará sequência à Política Externa Independente. Pragmático e defensor de maior integração internacional, San Tiago Dantas propõe a ampliação do mercado exportador brasileiro, inclusive por meio do reatamento de relações diplomáticas com a então União Soviética. Além disso, foi contra a expulsão de Cuba da Organização dos Estados Americanos – OEA, pois argumentava que essa seria a medida mais inteligente para não deixar um país do continente americano cair nos braços do bloco comunista. Sua gestão como Chanceler deixaria marcada uma legião de jovens admiradores no Itamarati dos mais variados perfis, passando por Rubens Ricúpero, Gibson Barboza, José Guilherme Merquior e Celso Amorim.

Ministro das Relações Exteriores

Ministro da Fazenda

Em 1963, já no Regime Presidencialista, San Tiago Dantas assume o Ministério da Fazenda. Junto com Celso Furtado, Ministro Extraordinário do Planejamento, elabora o Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social, com o objetivo de controlar o déficit público e a inflação.

Ministro da Fazenda

O Ministro da Fazenda e os Empresários

San Tiago Dantas acreditava que um plano de desenvolvimento econômico precisaria contar com a convergência de todas as forças produtivas, daí sua peregrinação como Ministro da Fazenda pelas entidades representativas dos empresários.

O Ministro da Fazenda e os Empresários

O Ministro da Fazenda e os Trabalhadores

San Tiago Dantas acreditava que um plano de desenvolvimento econômico precisaria contar com a convergência de todas as forças produtivas, daí sua peregrinação como Ministro da Fazenda pelas entidades representativas dos trabalhadores.

O Ministro da Fazenda e os Trabalhadores

O Ministro da Fazenda com John Kennedy

Como Ministro da Fazenda, em 1963, San Tiago Dantas se encontra com o Presidente JFK, em Washington. Entretanto, o ambiente político já estava bastante conturbado e o projeto de estabilização econômica de San Tiago não pôde ser levado adiante.

O Ministro da Fazenda com John Kennedy

O intelectual

Em 1963 é escolhido primeiro “Intelectual do Ano”, Prêmio Juca Pato, pela União Brasileira de Escritores.

O intelectual

Adeus a San Tiago Dantas

San Tiago Dantas morre em setembro de 1964, vítima de um câncer. Para Roberto Campos, “Foi imensa a sedução intelectual que San Tiago Dantas exerceu sobre a minha geração. Talvez tenha sido o melhor cérebro daquela época: polimorfo sem superficialidade, luminoso sem eclipse, acadêmico e, contudo, operacional, capaz do rigor da ciência e da luminosidade das artes.”

Adeus a San Tiago Dantas

Pesquisa e organização: Rogério Leite;
Produção: Web Pixel;
Coordenação: Adacir Reis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no skype
Compartilhar no telegram